?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry | Next Entry

Letra e música

Não consigo evitar associar pessoas/situações e músicas. É involuntário: quando me dou conta, identifico uma música com alguém, ou com algum acontecimento da minha vida. Na maior parte das vezes, a pessoa nem sabe que aquela é "sua" músisca. Tem vezes que a música parece não ter nada a ver com nada, mas quando páro pra pensar, é tarde demais, a associação já foi feita.

Ouvir as músicas, obviamente, traz as memórias de volta. Quantas vezes já escutei uma música por acaso, e relembrei de alguma coisa? E isso pode tanto ser muito legal, quanto uma merda. Pode, inclusive, ser as duas coisas, quando a lembrança que o som traz é a saudade de alguém querido, como minha manas, ou mesmo de épocas passadas.

E porque pode ser uma merda, tem músicas em que preciso dar sumiço de vez em quando. Esconder o CD, mover pra uma pasta esquecida, ou mesmo apagar do HD. O chato é que de muitas músicas que se tornam proibidas eu gosto, já gostava antes da associação acontecer. Mas não, não posso ouvir. Dá uma pequena revolta, tenho a estranha sensação de que a pessoa "roubou" a minha música. Mesmo que, como já disse, as pessoas sequer saibam que foram "etiquetadas" com a música X ou Y. Eventualmente, eu consigo voltar a ouvir as músicas proibidas sem ficar triste. Volta e meia escuto algumas músicas "proibidas", pra descobrir como eu realmente estou em relação às lembranças que elas trazem. No fim das contas, a música também funciona com um "termômetro".

O melhor é ligar o iTunes ou o iPod no random e ter agradáveis surpresas com as escolhas que ele fez. As músicas entristecedoras geralmente nem estão nas playlists, então a maior parte das surpesas é boa. Já abri um sorriso bobo no ônibus ouvindo músicas que me lembram da Carolina, ou de um show que fui com a Millu lá em 1997. Também já chorei escutando músicas que deveriam ter sido apagadas.

Sim, estou um pouco nostálgica. Mas é legal lembrar do passado, ter história na vida, ter referências